terça-feira, 27 de maio de 2008

Noite de chuva.

A chuva cai lá fora
E no calor do aconchego
Tu e Eu.
Tão mas tão perto
Embora tão longe.
Olho-te e...
Era capaz de ficar assim eternamente.
Dá-me a mão,
Dá-me um mimo.
Esse teu olhar, esse teu cheirinho...
É o que eu sinto,
É o meu desejo, é o teu...
Só e apenas...Nós!
Mas...
De volta à realidade,
Sou só e apenas, EU!
Magia num segundo,
Saudade e solidão noutro.
É quando se sente que as palavras não bastam,
Nem se sabe o porquê de serem pronunciadas
É quando o quero na realidade
Mas nem percebo se deva!
E...tenho medo!
Não me deixes sozinha,
Vem, vem para a minha beira...
Olha-me, sorri-me, diz-me que sim!
Diz-me que posso querer, porque também o queres
Diz-me que posso sorrir, porque não me farás chorar
Diz-me...
Estranha sensação, sem defenição,
Sem certezas...
Sensação que um dia foi,
Mas que numa noite de chuva voltou.


1 comentário:

Annie. disse...

Cair na realidade e olhar à nossa volta e ver que afinal, nada é como gostariamos que fosse doi tanto.. :/ whatever..
'Numa noite de chuva', está muito bonito, como todos os que escreveste e dá-me para pensar mas.. o caminho é em frente e temos de levantar a cabeça sorrir e continuar a caminhar!
Agora ando em busca do arco-iris, de preferência de borla que a vida anda muito má né? xD Caso o encontres por ai, não te esqueças de me avisar. xD

Beijinho melhor amiga.
AMO-TE de verdade :$ <3